top of page
Banner-Blog-Business.png
  • Foto do escritorRodrigo Paiva

Desbloqueando o potencial empreendedor: a urgência da atualização do teto do Simples Nacional e MEI

Atualizado: 8 de abr.


A urgência da atualização do teto do Simples Nacional e MEI

Desde sua implementação em 2007, o Simples Nacional e o Microempreendedor Individual (MEI) têm sido ferramentas cruciais para o fomento do empreendedorismo no Brasil. Oferecendo simplificação tributária e redução de custos, esses regimes têm possibilitado que milhões de brasileiros realizem o sonho de abrir seus próprios negócios.


No entanto, há um aspecto crucial desses regimes que vem sendo negligenciado: o teto de faturamento. Desde 2018, o limite de receita bruta anual para enquadramento no Simples Nacional e como MEI permanece congelado. Esta falta de ajuste tem sérias implicações para o crescimento e desenvolvimento dos pequenos negócios em nosso país.


O atraso e suas consequências


O teto do Simples Nacional e MEI, estabelecido em 2016 e que somente passou a vigorar em janeiro de 2018, está congelado em R$ 4,8 milhões para o Simples Nacional e R$ 81 mil para o MEI.

Porte da Empresa

Lei Complementar 123 de 14/12/2006

Lei Complementar 160 de 7/08/2017

De 01/01/2018 até hoje

MEI


60.000,00

81.000,00

ME - Micro Empresa

240.000,00


360.000,00

EPP - Empresa de Pequeno Porte

2.400.000,00


4.800.000,00

No entanto, ao longo dos últimos anos, a inflação acumulada tem corroído o valor real desses tetos. Caso estes tetos fossem corrigidos pela inflação (IPCA), tomando como base os valores vigentes em 01/2018, teríamos os seguintes limites:

Porte da Empresa

Correção de 01/18 a 02/24 pelo IPCA

MEI

112.989,60

ME

502.175,99

EPP

6.695.679,84

Em termos práticos, isso significa que o poder de compra dos empreendedores diminuiu significativamente ao longo do tempo. O que era considerado um limite razoável no passado, agora representa uma restrição injusta para os empresários que buscam expandir seus negócios.


Impacto Econômico


O congelamento do teto do Simples Nacional e MEI tem impactos negativos diretos na economia brasileira. Sem a possibilidade de aumentar seus rendimentos, muitas empresas ficam estagnadas em sua fase de crescimento, incapazes de investir em novos equipamentos, contratar mais funcionários ou expandir suas operações.


Além disso, o limite desatualizado incentiva a informalidade, com empresas optando por não se registrar oficialmente para evitar as restrições impostas pelo teto. Isso resulta em uma perda de arrecadação para o governo, além de criar um ambiente de concorrência desleal para as empresas que cumprem suas obrigações tributárias.


O Projeto 108/21 na Camara dos Deputados


O PLP 108/21 em trâmite no Congresso Nacional está em estágio avançado, aguardando votação no Plenário da Câmara dos Deputados. Aprovar o PLP 108/21 trará benefícios como expansão de negócios limitados pelo teto de faturamento. A proposta visa proporcionar um crescimento contínuo.


  • Aumento do teto anual do MEI: de R$ 81 mil para R$ 144,9 mil;

  • Reajuste para microempresas: novo teto de R$ 868,4 mil;

  • Empresas de pequeno porte: teto ampliado para R$ 8,6 milhões;

  • Flexibilização no número de empregados: permissão para contratação de até dois empregados sob determinadas condições e

  • correção anual automática dos limites com base na inflação.


O caminho a seguir


Diante desse cenário, torna-se evidente a necessidade urgente de atualizar o teto do Simples Nacional e MEI. Um ajuste para refletir a inflação acumulada dos últimos anos é fundamental para garantir que esses regimes continuem a cumprir seu propósito de estimular o empreendedorismo e fortalecer a economia brasileira.


Além disso, um teto atualizado proporcionaria um impulso significativo para os empreendedores, permitindo-lhes expandir seus negócios de forma sustentável e contribuir ainda mais para o crescimento econômico do país.


É hora de agir e lutar pela aprovação do PLP 108/21! A atualização do teto do Simples Nacional e MEI não é apenas uma questão de justiça para os empreendedores brasileiros, mas também uma medida crucial para impulsionar o crescimento econômico e reduzir a informalidade. O Brasil não pode mais se dar ao luxo de adiar essa atualização. É hora de desbloquear o potencial empreendedor do nosso país e construir um futuro mais próspero para todos.

170 visualizações0 comentário

תגובות

לא היה ניתן לטעון את התגובות
נראה שהייתה בעיה טכנית. כדאי לנסות להתחבר מחדש או לרענן את הדף.
bottom of page