• Paiva Piovesan

Você sabe o que é um ETF?


Você deve até ter pensado em um ET, mas na verdade a criatividade do mercado vai longe para criar novas formas de investimentos, como os ETFs, que na verdade é a sigla em inglês para "Exchange Traded Funds".


Portanto os ETFs nada mais são do que fundos de investimento com cotas negociadas na Bolsa de Valores. Eles também são chamados de “fundos de índice”, um apelido que explica a funcionalidade desse tipo de investimento. Eles misturam características de fundos com ações.

E mais, você vai entender ainda que os ETFs podem ser investimentos em renda fixa ou variável!

Assim, quando falamos de índice estamos nos referindo a um conjunto de ativos que representam uma categoria.

Então, por exemplo, você já deve ter ouvido falar nos noticiários sobre o Ibovespa (IBOV), um dos índices mais famosos do mercado brasileiro. Ele é como se fosse uma cesta imaginária que reúne as principais ações das empresas listadas na Bolsa.

Já pensou se tivesse um instrumento financeiro capaz de replicar o Ibovespa? O ETF é justamente o ativo que consegue fazer isso.

Ou seja, se você aplicar o seu dinheiro em um ETF que replica o Ibovespa, como por exemplo o BOVA11, ou o BOVV11, a rentabilidade será a variação do índice. Outros índices são, por exemplo, o S&P 500 (índice da bolsa americana) e o IFIX que é o índice de Fundo Imobiliário da B3.

No Brasil, existem 32 ETFs listados na bolsa de valores (1), que representam um patrimônio líquido de aproximadamente R$ 39 bilhões.

A indústria de ETF norte-americana, onde eles surgiram, possui nada menos que US$ 6 trilhões em patrimônio em mais de 2.800 ETFs listados. O que nos mostra que o Brasil está apenas começando com estes tipos de fundos.

Segundo a ANBIMA, o mercado brasileiro de Fundos de Investimentos atingiu a marca de R$ 6,0 trilhões em 2020 (2). O mercado de ETFs no Brasil representa apenas 0,65% da indústria de fundos. Nos Estados Unidos a proporção chega a 17,6%, o que confirma este enorme potencial de crescimento para a indústria de ETFs brasileira nos próximos anos.