Propaganda-fluxo-de-caixa.png
  • Débora Prota

Gestão 4.0 - Liderando empresas na Nova Economia!



Para acompanhar os avanços e as transformações digitais impostas pela quarta revolução industrial (Indústria 4.0) que gerou a Nova Economia, os empreendedores e líderes precisaram rever a maneira de administrar suas empresas ou estariam sujeitos a perderem relevância e competitividade diante de seus concorrentes.


Neste contexto, surgiu um novo conceito: a Gestão 4.0. Entender e, sobretudo, aplicar a Gestão 4.0 pode ser um grande diferencial para os negócios, que serão cada vez mais ágeis, humanizados, inovadores e alinhados com o mundo 'VUCA' (volátil, incerto, complexo e ambíguo) e 'BANI' (frágil, ansioso, não-linear e incompreensível).


O que é Gestão 4.0?


A Gestão 4.0 é uma maneira de administrar, que recorre à tecnologia e aos dados para a tomada de decisões, mais ágeis e acertadas, dentro de uma empresa. Um modelo de gestão no qual o foco é sempre direcionado para o cliente e suas demandas reais.


O uso de novas tecnologias para empresas permite não apenas que haja mais conectividade entre os dispositivos, mas que processos produtivos ganhem agilidade, precisão e autonomia, o que significa um grande salto para toda cadeia produtiva.


A cada dia, mais dados e informações são gerados e estão disponíveis para serem capturados e tratados, mas precisam ser filtrados e interpretados corretamente, para que se transformem em informações relevantes para cada negócio. Este é o trabalho do Gestor 4.0: entender quais dados devem ser capturados e interpretados, para tomar as melhores decisões em relação a todas as áreas de seus negócios, para que a sua empresa ofereça um diferencial e se destaque em um mercado tão competitivo e global.


Com todo o avanço tecnológico, processos cada vez mais automatizados e integrados, as rápidas e constantes mudanças, grande volume de dados gerados e consumidores cada vez mais atentos e informados, foi necessário reinventar a maneira de fazer a gestão.


Assim, a Gestão 4.0 é uma resposta imediata aos novos modelos de negócios da Nova Economia e sua Indústria 4.0, que apesar do nome, atinge empresas de todos os portes e áreas de atuação no mercado atual.


Quais são os 7 pilares da Gestão 4.0?


Como já poderíamos esperar, os pilares da Gestão 4.0 estão fortemente alinhados com os princípios da Nova Economia, para acompanhar as necessidades do cliente. Assim, são pautados por tecnologia, inovação, agilidade, flexibilidade, eficiência e valorização das pessoas (clientes, colaboradores, parceiros e outros).


Para tanto, há sete pilares que sustentam esta nova maneira de liderar as empresas do presente e do futuro:


1. Automação e virtualização dos processos:


A Gestão 4.0 está fundamentada em tecnologia, portanto, a sua adoção é o primeiro pilar deste modelo de gerir as empresas da Nova Economia. Automatizar e virtualizar processos significa ganhar inteligência, agilidade, produtividade e eficiência para o negócio.


Com a automação, os processos são otimizados, há redução de trabalhos manuais e repetitivos, bem como uma quase eliminação de papéis. Ganha-se tempo, um bem precioso, que pode ser dedicado para pensar o negócio, para planejar e executar estratégias, entender o cliente e suas necessidades, para ativar a criatividade e inovação.


Para alcançarmos a automação, faz-se necessária a integração e comunicação destes processos, sem a supervisão humana. A tecnologia permite a conexão entre máquinas (mais autônomas) e sistemas, de maneira que o fim de um processo faça com que um segundo seja iniciado, automaticamente. A intervenção humana passa a ser pontual, quando há algum desvio de rota, o que pode ser alertado, diga-se de passagem, também automaticamente.


O Gestor 4.0 é mais estratégico, transfere o seu foco de atenção, antes direcionado para os processos produtivos e desenvolvimento de produtos e serviços, para o mercado e suas demandas.


A virtualização permite ainda que a informação seja centralizada e, ao mesmo tempo, esteja disponível a todos os agentes, com facilidade.


Um dos desdobramentos da transformação tecnológica é também a mudança do perfil de profissionais desejados para o time. Algumas profissões antigas provavelmente deixarão de existir ou serão completamente remodeladas para esta realidade digital, e novas profissões estão surgindo e ainda serão inventadas.


Vale reforçar que a tecnologia permeia vários dos demais pilares de sustentação a seguir, como poderemos comprovar a seguir.


2. Decisões baseadas em dados e informações:


Informação é poder ou "scientia potentia est", como disse Thomas Hobbes, na versão de 1668 da obra "Leviatã". Porém, mais importante ainda que ter a informação é saber o que fazer com ela. A frase foi repetida pelo personagem “Steve Jobs”, no filme “Piratas do Vale do Silício”.


Decisões assertivas são tomadas quando estão embasadas em dados, fatos e informação, que podem ser capturados de diversas maneiras, interna (dos processos, dos negócios, colaboradores, sistemas de gestão, dos próprios sites e redes sociais) e externamente (pesquisas, no mercado, informações oferecidas pelos clientes, na Internet). Dados são gerados a todo tempo e de várias fontes, mas tomarão as melhores decisões e serão mais eficientes aqueles gestores que souberem como cruzar estes dados e interpretá-los com mais precisão. A tecnologia possui um papel fundamental para transformar este "bando de dados" em um "banco de dados", que resultam em informações relevantes para o sucesso dos negócios, independente de seu porte ou área de atuação.


Após automatizar e virtualizar os processos, o passo seguinte é analisar os resultados e informações geradas por toda essa tecnologia.


A própria definição de Gestão 4.0 já lança uma luz sobre a importância dos dados para a tomada de decisões.


3. Clientes no centro (customer-centric):


As informações estão disponíveis para todos e, além de acessá-las, nossos clientes interagem, compartilham experiências e valorizam marcas alinhadas com os seus próprios propósitos. Lidamos, hoje, com consumidores empoderados e atentos, que definem suas compras após considerar vários fatores, incluindo a reputação, os valores e propósitos da marca. As pessoas não estão apenas adquirindo um produto ou contratando um serviço, mas criando um relacionamento e buscando por experiências positivas com a empresa.


Conhecer o cliente e entender suas necessidades e desejos (mesmo não ditos) são os maiores desafios dos Gestores 4.0. Afinal, o propósito de qualquer empresa deve ser oferecer o que o seu consumidor deseja e pode comprar, da maneira e no momento que ele precisa, com um atendimento que o faça ficar encantado.


Os clientes estão entre os ativos mais valiosos de todos as organizações e a eles deves ser dadas a sua verdadeira importância. Sem clientes, nenhuma empresa se mantém. Entretanto, embora a maioria das empresas tenham consciência sobre a importância dos seus clientes, eles nem sempre são colocados efetivamente no centro das estratégias.


Quando o cliente está no centro, todas as decisões e os processos da empresa convergem para atender às necessidades dele. Isso significa, além de conhecer muito bem o público-alvo, garantir-lhe uma boa experiência, criar um relacionamento, conquistar a sua lealdade e, em consequência, ser recomendado por ele.


Para tanto, todos da empresa devem considerar o cliente para executar suas atividades. O Gestor 4.0 deve avaliar a trajetória do cliente e identificar pontos de melhoria para sua experiência, comunicar com ele pelos canais de sua preferência, ouvi-lo e compreender verdadeiramente o que ele tem a dizer, o que pode significar grande evolução ou verdadeira inovação para seus produtos, serviços ou processos.


As experiências individuais e o atendimento humanizado e personalizado oferecidos podem significar grandes diferenciais para as empresas com foco no cliente, em mercados cada vez mais comoditizados e concorridos.


4. Diversidade e integração de canais de comunicação:


Para criar um relacionamento real e duradouro com o cliente, os gestores precisam entender suas preferências e quais os canais de comunicação ele utiliza. Seria errôneo dizer que as empresas precisam estar presentes e ativas em todas as mídias e redes sociais que existem, mas certamente, devem estar naquelas em que seus clientes também se encontram.


Assim, é necessário oferecer uma diversidade de canais de comunicação, para que o cliente escolha aquele em que se sente mais confortável.


São inúmeras as plataformas de comunicação disponíveis, desde os tradicionais atendimento pessoal, o telefone e e-mails aos chatbots, passando pelo site, redes sociais, aplicativos de comunicação como o WhatsApp, sites de buscas e muitos outras. Além de definir quais destas serão utilizadas na empresa, afim de suprir as expectativas do seu público-alvo, é ainda mais importante que todas "falem a mesma língua", isto é, a mensagem levada ao consumidor é sempre a mesma por todos eles.


Assim, é mandatório um alinhamento na comunicação da marca. A integração e unidade de todos os canais de comunicação é denominada "omnichannel", uma estratégia de convergência de todos os pontos de contato, físicos e digitais, entre o consumidor e a empresa.


5. Equipes integradas e de alta performance:


Para que uma empresa seja ágil e inovadora, é preciso coesão e integração das equipes, afinal, um time é composto por vários jogadores, cada um com o seu papel, mas que se complementam, são interdependentes e possuem um único objetivo: vencer. A ideia é a mesma para as empresas.


Com equipes integradas, os colaboradores passam a ter um pensamento sistêmico, entendem a importância de cada processo e os impactos de seu trabalho para as demais equipes. A integração agiliza processos e reduz consideravelmente as falhas de comunicação interna das organizações.


A Gestão 4.0 parte do princípio de que, mesmo com toda a tecnologia, são as pessoas que criam estratégias, que inovam, que geram valor para o cliente e que definem os processos.


O capital humano é um dos recursos mais valiosos para quaisquer negócios e, portanto, a valorização das pessoas o investimento em capacitação dos profissionais gera equipes de alta performance, motivadas e capazes de responder, com agilidade, a quaisquer mudanças ou adversidades que lhes são apresentadas.


6. Gestão horizontalizada e descentralizada:


Estruturas organizacionais verticalizadas, em que o poder de decisão vem do topo da pirâmide, não são mais compatíveis com a Nova Economia.


Com a valorização das pessoas na Gestão 4.0, as decisões são descentralizadas e tomadas em conjunto por toda a equipe, fomentando a proatividade, a iniciativa, inovação, trabalho em equipe e colaborativo, bem como um espaço para o surgimento de novos líderes, o que é benéfico para todas as partes envolvidas.


Quando os colaboradores possuem maior autonomia em suas atividades, podem alcançar resultados inesperados para a organização.


7. Liderança servidora e colaborativa:


"A palavra convence, o exemplo arrasta." A frase, cujo autor é desconhecido, representa bem o último dos 7 pilares da Gestão 4.0. A figura do chefe autoritário ficou mais distante e ele passou a ser mais um facilitador, um líder, alguém mais próximo da sua equipe e com uma visão mais abrangente, estimulando assim o surgimento de novos talentos.


James C. Hunter, em seu livro "Como se tornar um líder servidor: Os princípios de liderança de O monge e o executivo" aborda o conceito da liderança servidora, que inspira seus liderados pelo exemplo, pelo ato de servir e colaborar.


O Gestor 4.0 não precisa distribuir ordens aos subordinados, consegue que as pessoas façam o que ele quer, simplesmente por ser um exemplo. O comportamento do líder servidor é naturalmente replicado, porque gera admiração e inspiração em seus liderados, seus "seguidores".


Você se considera um Gestor 4.0? Conheça as características a seguir.


Quais são as principais características do Gestor 4.0?


As principais características de um bom Gestor 4.0 são:


Autenticidade: arriscam mais do que a média, são ousados e até podem sair do planejamento em determinados momentos, mas sem abandonar seus propósitos.


Acessibilidade: fruto da gestão horizontalizada e descentralizada, o Ggestor 4.0 é acessível a toda a equipe.


Escuta ativa: comunicar-se é muito mais sobre saber escutar do que sobre falar. Gestores 4.0 conversam muito com suas equipes e estão sempre disponíveis para escutar o que o time tem a dizer.


Vulnerabilidade e empatia: assim como todas as pessoas, os Gestores 4.0 são vulneráveis (dispensam a figura sisuda) e, portanto, são mais empáticos.


Geração de impacto: liderar bem é impactar toda a equipe de maneira positiva, o que reforça a importância de uma visão coletivista.


Criatividade: aliada à autenticidade, a criatividade consiste em pensar em soluções diferentes e inovadoras, que permitam sair dos resultados de sempre e atingir algo novo.


Orientado por números: para lidar com a Gestão 4.0, que é integralmente data-driven, o gestor também precisa ser orientado por dados para ajudar na tomada de decisões.


Transparência: aliada à vulnerabilidade e à acessibilidade, a transparência consiste em ser claro e direto no que se deseja.


Protagonismo: o líder naturalmente tem algum protagonismo sobre si, mas cabe a ele saber como promover outros a também serem protagonistas.


Colaboração: não há como liderar sozinho. Portanto, um gestor 4.0 precisa ser colaborativo para conseguir ajudar na obtenção dos objetivos propostos, participando ativamente de todos os processos necessários.


Comprometimento: um Gestor 4.0 não faz o que quer, mas sim o que precisa ser feito. Ele precisa ser totalmente comprometido, o que também passa uma imagem de mais profissionalismo e dedicação.


Como podemos te ajudar a aplicar a Gestão 4.0?


A tecnologia permeia vários dos pilares da Gestão 4.0, portanto, é mandatório recorrer a soluções tecnológicas para automatizar e digitalizar os processos, integrar equipes, oferecer autonomia e analisar dados precisos para tomar as melhores decisões.


A Paiva Piovesan possui a missão de gerar soluções inovadoras, eficientes e seguras para simplificar a gestão financeira e administração de negócios. Não poderíamos estar mais alinhados com os conceitos vistos, certo?

Então, saiba mais sobre as nossas soluções e entenda como facilitar sua gestão:


Novidade! [4ª DA GESTÃO] agora é [GESTÃO 4.0]...


O tema deste artigo é tão relevante que nos inspirou a mudar o nome de nossa série de conteúdos, criada para compartilhar informações e conhecimentos sobre gestão, em especial para os micro e pequenos empreendedores.


Continue acompanhando nossos conteúdos, criados para contribuir com o seu sucesso.



Gostou do conteúdo? Curta, compartilhe com os amigos e leia todos os nossos posts no Blog.


Veja também:


[4ª DA GESTÃO] Sua empresa está preparada para a Nova Economia?


[4ª DA GESTÃO] Orçamento: Pilar do Planejamento Financeiro das Empresas


[2a. INVEST] Conciliação bancária: por que ela é importante para os investidores?


[2a. INVEST] Qual é o melhor banco digital? Qual deles oferece a melhor rentabilidade para o seu dinheiro?



31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo