top of page
Propaganda-fluxo-de-caixa.png
  • Rodrigo Paiva

A importância do setor de petróleo, gás e biocombustíveis na B3



A bolsa brasileira (B3) é dominada pelo setor de petróleo, gás e biocombustíveis, como fica claro na análise setorial por lucro líquido, conforme pode ser observado na figura abaixo, com a participação de 48%, ou seja quase metade da bolsa brasileira! Em segundo lugar fica o setor financeiro com participação de 15%.



Ao detalharmos o setor temos a grande proeminência da estatal Petrobras, com a participação de 31%, conforme pode ser observado na figura abaixo:



Temos um total de 13 empresas listadas na B3 neste setor:



Apenas 5 apresentam lucro líquido positivo e 4 delas estão no prejuízo.


Em 2021 a produção de petróleo no Brasil totalizou 1,367 bilhão de barris de óleo equivalente (boe). Em dezembro de 2021 de um total de 3,670 milhões de boe/dia, 3,415 milhões foram produzidos pela Petrobras, ou seja 93% da produção. (Dados da ANP)



No setor de exploração, refino e distribuição de petróleo mais especificamente, ficamos com 5 empresas brasileiras listadas na bolsa, além da Petrobras. A seguir apresentamos quais são estas empresas:


1. PetroRecôncavo (RECV3)



A PetroRecôncavo é uma companhia privada que atua de forma independente na extração de petróleo e gás natural. Ela foi uma das primeiras companhias a operar no setor após a quebra do monopólio estatal em 1997.


Criada no mesmo ano, a empresa foi uma das precursoras na aquisição de campos de petróleo onshore oriundos de programas de desinvestimentos da Petrobras. Em 2022, ela possuía 59 concessões e 1 bloco exploratório, operando 32 campos na Bacia Potiguar e 26 na Bacia Recôncavo.


Embora seja uma companhia com cerca de 22 anos de história, ela somente foi listada na B3 em 5 de maio de 2021. Sua listagem se deu no segmento do Novo Mercado — um dos mais criteriosos em termos de governança corporativa.


As ações ordinárias da companhia são negociadas sob o ticker RECV3. A estrutura acionária atual é composta pela PetroSantander (23%), Opportunity (17%), Eduardo Cintra Santos (5%), Opeg (5%), Perbras (4%) e free float (46%).


2. PetroRio (PRIO3)

A Petrorio S.A é uma empresa privada de capital aberto dedicada à produção e transporte de petróleo e gás natural. Ela foi fundada em 13 de outubro de 2008, no Rio de Janeiro, sob o nome de BN 16 Participações Ltda.


Em 2009, a companhia foi transformada em uma sociedade anônima de capital fechado, mudando de nome para HRT Participações em Petróleo S.A. Já no ano de 2010, ela abriu seu capital na antiga Bovespa (atual B3).


A organização somente mudou para o nome Petro Rio S.A. em 2015, após a mudança de sua diretoria. Na ocasião, o ticker (código de negociação) da sua ação ordinária passou a ser o PRIO3. A empresa tem seu capital distribuído entre pessoas físicas, jurídicas e fundos de investimento.


Em 2022, ela contava com 4 campos de extração de petróleo: o Campo de Polvo, Campo de Manati, Campo de Frade e Campo de Wahoo. Entre seus focos estão a recuperação de ativos em produção, gestão dos reservatórios e melhorias nos campos de exploração.


3. Enauta (ENAT3)

A história da Enauta tem início com as primeiras atividades do Grupo Queiroz Galvão no setor do petróleo e gás natural, em 1981. A princípio, sua atividade era voltada à perfuração de poços. Somente a partir de 1997, com as mudanças no setor, ela passou a explorar esses recursos.


Em 2010, com a reestruturação da Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A, a companhia mudou de nome para QGEP Participações. No ano de 2013, adquiriu oito blocos exploratórios em uma rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).


Sua listagem na bolsa de valores se deu em 2011, no segmento do Novo Mercado. Porém, em 2019, a organização teve o nome alterado para Enauta Participações S.A — e, assim, o ticker da sua ação passou a ser ENAT3.


Em 2022, sua composição societária contava com a Queiroz Galvão S.A (63%), Quantum Fundo de Investimento em Ações (7%), free float (28,8%), tesouraria (1%) e administradores (0,2%). A empresa somente possui ações ordinárias em circulação.


4. 3R Petroleum (RRRP3)

Fundada em 2014 pelos empresários Ricardo Sanivi e Daniel Soares, a 3R Petroleum Óleo e Gás S.A é uma empresa focada na operação de campos maduros de petróleo. Entre seus principais objetivos está a revitalização de campos terrestres e de águas rasas.


Seu IPO foi realizado em novembro de 2020, emitindo ações ordinárias sob o ticker RRRP3 que movimentaram cerca de R$ 690 milhões. De acordo com a empresa, o valor arrecadado seria usado na compra de outros campos de petróleo e quitar aquisições já realizadas.


Sua composição societária, em 2022, contava com o Esmeralda Fundo de Participações Multiestratégia (10%), o Banco BTG Pactual (7%), Gerval Investimentos (6%), administração (1%) e free float (76%).


5. Dommo Energia (DMMO3)



Quanto à Dommo Energia, para quem não sabe, ela é a antiga OGX. Desde 2013, a companhia se transformou após ter passado por um processo de reestruturação. Nesse mesmo ano, começou a produção de petróleo no Campo de Tubarão Martelo. No entanto, em agosto de 2020 foi concluída uma operação na qual a Dommo passou a deter 20% da concessão e deixou de ser operadora.


Desempenho na B3


A seguir apresentamos o desempenho das 4 primeiras empresas comparadas com o desempenho da Petrobras nos últimos 12 meses, com os seguintes resultados: RECV3 com valorização de 93,84%; PRIO3 com valorização de 62,25%; PETR4 com valorização de 41,42%; RRRP3 com ganhos de 8,83% e a ENAT3 com perda de -5,38%.



Quando ampliamos para o período de 5 anos o destaque vai para a PRIO3 com valorização de 2.374,26%.



Com a ampliação do período de análise temos o predomínio da PETR4.




Gostou do artigo? Continue acompanhando nossos conteúdos:

Onde investir em Renda Fixa


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page