Propaganda-fluxo-de-caixa.png
  • Débora Prota

Gestão financeira em tempos de crise





A gestão financeira eficiente é sempre muito importante para as empresas, mas, em tempos de crise, se torna ainda mais fundamental; o que pode diferenciar as empresas que superarão os desafios das que sucumbirão e precisarão encerrar suas atividades.


O momento atual exige dos empreendedores um controle ainda maior sobre as suas finanças, especialmente quando consideramos os eventos decorrentes da pandemia do Coronavírus, que trouxeram inúmeras implicações para os negócios. A crise na saúde mundial se desdobrou em uma crise econômica, com impactos relevantes para os negócios, desde a redução no movimento de clientes e a queda no faturamento, até a impossibilidade do comparecimento de empregados em seus postos de trabalho, com a consequente queda na produção.


A inflação elevada, também como consequência da pandemia, vem reduzindo consideravelmente o poder de compra das pessoas, que passam a priorizar os artigos mais essenciais e consomem menos.


Além de todo este cenário, a realidade demonstra que muitos empreendedores continuam cometendo os mesmos erros básicos, de longa data, na gestão financeira de suas empresas. Dentre as falhas mais comuns ainda cometidas pelos empresários, destacamos:

  • confusão entre o patrimônio individual e empresarial;

  • falta de planejamento financeiro e

  • contração de dívidas sem a previsão de receitas.


Estes erros precisam ser extintos de uma vez por todas, para que seja possível sair desta situação de crise e ainda mais forte. Este é o momento de retomada e recuperação. O empreendedor precisa ser cada vez mais criativo e estratégico, para reinventar seu negócio e lidar com todos os desafios. Mais que uma necessidade, a gestão eficiente das finanças se tornou uma obrigação do empresário, que deseja manter as atividades.

Então, é importante aproveitar para revisar ou definir o planejamento, as estratégias e os planos de ação, para redefinir o destino das empresas.


Cerque-se de todos os recursos disponíveis, para manter as finanças sob controle. Um software de gestão financeiro, como o NEXT Finance ou o Finance V20, pode simplificar sua vida.


Você pode recorrer ao PDCA da Gestão Financeira, para organizar suas finanças:



Saiba como se preparar para superar o momento de crise:

1. Preveja o cenário

O primeiro passo para organizar as finanças é fazer um levantamento de todos os pagamentos a serem efetuados nos próximos três meses, os classificando e agrupando por tipo de despesa e por nível de exigência (primeiro, aquilo que não pode ser alterado, que precisa ser quitado). Lembre-se de listar os impostos, a quitação de empréstimos tomados, salários, despesas fixas e variáveis. Este levantamento é mais fácil de ser realizado se você faz um controle de Contas a Pagar da empresa.


Liste também as receitas já previstas, considerando os faturamentos já realizados e as negociações em andamento. Se tiver um controle de Contas a Receber, poderá obter os valores exatos.


Organize as informações de maneira que consiga visualizar o cenário provável de suas finanças no período e, se possível, crie o seu Orçamento Financeiro.


Para não deixar nenhuma transação de fora, confira os tipos de receitas e despesas mais comuns para as empresas:




2. Analise suas despesas

Você sabe quanto gasta com cada tipo de despesa em seu negócio? Conhece a origem e o destino do dinheiro?


A resposta a este questionamento é muito valiosa para o gestor. Ao conhecer os recebimentos e pagamentos dos próximos meses (listados no passo anterior) e organizá-los por tipos de receitas e despesas, podemos analisar melhor a distribuição dos gastos e conseguimos definir as ações corretivas a serem tomadas, priorizando as despesa com maior impacto nos negócios e que sejam passíveis de negociação.


Vamos considerar a Análise de Plano de Contas, obtida no NEXT Finance, como exemplo:




Observe que as despesas operacionais são as que mais impactam o negócio, portanto são as que precisam ser verificadas com mais cuidado.

3. Ajuste os gastos

Com uma possível redução no faturamento, os empreendedores devem ajustar suas despesas de acordo com este novo cenário. Veja algumas providências que podem ser tomadas:

  • Renegocie com os fornecedores um aumento nos prazos de pagamento dos seus compromissos ou os valores de contrato, adequando à nova realidade.

  • Se tiver dívidas com instituições financeiras, procure renegociar visando também aumentar o prazo de pagamento, adequando o valor pago por mês ao seu faturamento. Hoje, é possível fazer a portabilidade de dívidas para uma instituição que ofereça melhores condições ao empreendedor.

  • Elimine gastos supérfluos. Evite qualquer nova despesa que não seja extremamente necessária para a continuidade dos negócios.

  • Avalie as melhores condições de pagamento para novas compras, conforme o faturamento previsto.

  • Busque alternativas: fornecedores mais econômicos para contas de consumo, redução de tarifas financeiras, linhas de crédito mais baratas para suprir o capital de giro.

  • Reavalie o seu enquadramento fiscal com o contador, para verificar se está adequado à nova realidade.

  • Invista melhor os recursos disponíveis, caso existam, para que o dinheiro não fique parado em conta corrente, sem nenhum tipo de rendimento.

4. Busque novas fontes de receitas

Os empreendedores devem também buscar alternativas para aumentar o seu faturamento. Ative sua criatividade para imaginar o que pode ser oferecido ao mercado que ajudará a melhorar os resultados. Algumas ações que podem ser tomadas:

  • Faça promoções de produtos que estão há muito tempo em estoque.

  • Disponibilize serviços de entrega para manter o nível de compra dos clientes.

  • Diversifique e amplie as formas de pagamento, para facilitar o fechamento de novos negócios.

  • Seja parceiro de seu cliente, entenda o que ele precisa para oferecer a solução adequada.

  • Implemente estratégias de divulgação dos seus produtos e serviços por meio de marketing digital, com utilização de redes sociais, canais diversificados e anúncios.

5. Atente-se ao Fluxo de Caixa

Acompanhe, de perto, suas movimentações financeiras. Analise e gerencie o fluxo de caixa da empresa, rotineiramente, projetando os pagamentos e recebimentos previstos, para avaliar se terá recursos para honrar todos os compromissos assumidos. Antecipe-se, caso seu fluxo de caixa esteja negativo, negociando postergação de prazos de pagamentos com fornecedores ou buscando fontes alternativas de receitas.


Uma dica seria avaliar o serviço de antecipação de recebíveis, oferecido por instituições financeiras, para equilibrar seu fluxo de caixa. Falaremos sobre o assunto nas próximas edições da [4ª DA GESTÃO].



Utilize a tecnologia a favor de suas finanças!


Sistemas de gestão financeira informatizados pode te ajudar a dominar suas finanças e ter acesso a informações estratégicas em tempo real.


Se você quer simplificar a gestão financeira de sua empresa, invista no NEXT Finance e esteja preparado para enfrentar qualquer crise!


Saiba mais sobre as nossas soluções e entenda como podemos te ajudar!



Gostou do conteúdo? Curta, compartilhe com os amigos e leia todos os nossos posts no Blog.


Veja também:


[4ª DA GESTÃO] Capital de Giro: Qual é o valor necessário para manter a sua empresa em funcionamento?


[4ª DA GESTÃO] Como fazer a gestão de Contas a Receber?


[4ª DA GESTÃO] Contas a Pagar: O que é e como controlar seus pagamentos com excelência!


[2a. INVEST] FGTS é também uma forma de previdência que pode se transformar em investimento


[2a. INVEST] A Bolsa brasileira é hoje uma oportunidade?


49 visualizações0 comentário